pantanal

Os empresários do turismo da pesca esportiva da região do Pantanal de Corumbá estimulam a conservação e o turismo sustentável, uma das principais características do ecoturismo.

Férias, Pantanal cheio e a alta temporada de pesca esportiva aquecem a economia do turismo na região de Corumbá, que em 2014 registrou um crescimento de 4,5% do seu fluxo turístico. Foram 214.000 turistas no ano passado, desses 50 mil turistas vieram praticar a modalidade pesca esportiva e cerca de 30.000 o ecoturismo e a aventura na Estrada Parque Pantanal e nos Polos Turísticos – Porto Morrinho e Albuquerque.

A expectativa da Prefeitura de Corumbá, por meio da Fundação de Turismo do Pantanal, e dos empresários que trabalham diretamente com o setor nas regiões turísticas, é que esse número se mantenha positivo e crescente, a partir do trabalho conjunto realizado pelo Conselho Municipal de Turismo de Corumbá e a Prefeitura.

Para Vanildes Sório Neves, proprietária do Hotel Sonetur situado na Estrada Parque Pantanal, no Polo Turístico do Porto da Manga, a expectativa de receber turistas esse ano é maior pela possibilidade de acesso fácil ao seu estabelecimento.

“Turista ama água e a minha pousada está localizada em uma área de planície alagável. Dependendo dos níveis de água a cada cheia, o acesso pela estrada fica difícil. Porém esse ano, o pico da cheia não foi tão alto possibilitando mais o acesso desses turistas”, explica Vanildes.

A empresária ainda comemora a chegada de grupos que vem diversificando o perfil de quem busca a Estrada Parque Pantanal, como os 40 bikers que chegarão em agosto, a partir de Campo Grande, em busca de aventura.

Luiz Carlos Castro, proprietário da Pousada Lontra – Pantanal, que já realiza atividades de pesca esportiva, aventura e ecoturismo (cavalgada, safári, flutuação, canoagem) reforça o time dos que estão investindo no segmento do ecoturismo no Pantanal.

Segundo o proprietário do empreendimento, que aposta no ecoturismo e aventura no Pantanal de Corumbá, “o futuro do Pantanal é o turismo ecológico. Até o fim do ano, meu novo empreendimento será focado no público que consome o turismo de uma maneira consciente e sustentável.”

Sobre a pesca esportiva reforça: “acreditamos na pesca esportiva como segmento consolidado e principal atividade turística, mas esse estímulo de inserir cada vez mais o turista no mercado consciente, também é uma tarefa que deve partir dos empresários do setor”, pontua Luiz Carlos”. O novo negócio está em fase de conclusão com mais de 60 leitos. A inauguração está prevista para dezembro desse ano.

No Polo Turístico de Porto Morrinho, com a entrada do período de férias escolares, a empresária do setor hoteleiro da região, Odila Gonçalves, confirma a crescente busca pela região, com aumento significativo no período de férias.

“Já tenho 70% de apartamentos preenchidos até outubro. Nesse período de férias escolares, a demanda de jovens acompanhados dos pais é grande”, confidenciou.

A empresária Joice Carla Santana Marques, proprietária de empresa de turismo Joice Tur, que opera há mais de 15 anos com pacotes exclusivos de pesca esportiva em barco-hotel no Pantanal de Corumbá, também está apostando na diversificação da oferta turística da sua empresa.

Segundo ela, “o turismo de pesca esportiva já é solidificado. O nosso novo desafio é inserir e consolidar o turismo ecológico através do nosso cruzeiro no Pantanal, uma proposta rica e inovadora que propõe um novo viés. A expectativa é que isso cresça, e começaremos com essa nova modalidade turística agora nesse segundo semestre”, revela a empresária.

A pesca esportiva é uma modalidade de turismo importante para o município de Corumbá, uma atividade com destino reconhecido nacionalmente que movimenta a nossa economia, garante emprego e renda para a população que trabalha nos cruzeiros fluviais, nas pousadas e hotéis urbanos e rurais.

“A diversificação da oferta que temos visto com novos modelos e empreendimentos estimulará a diminuição da sazonalidade no período de defeso, atraindo cada vez mais turistas para a cidade, onde todos ganham”, explica Hélènemarie Dias Fernandes.

Turismo de Pesca Sustentável – Os empresários do turismo da pesca esportiva da região do Pantanal de Corumbá estimulam a conservação e o turismo sustentável, uma das principais características do ecoturismo. De acordo com os empresários, já há alguns anos, o pescador esportivo que não leva nenhum exemplar do peixe recebe um desconto da empresa, o que incentiva à pesca consciente e sustentável no Pantanal. “Estamos sempre estimulando o pesque-e-solte ao turista. Esse trabalho é feito articulado entre a maioria dos empresários que atuam na região”, relembra Vanildes.